A Banda da Filarmónica Gualdim Pais foi fundada em Março em 1877 e mantém a sua atividade ininterrupta durante os seus 145 anos de existência.

Atualmente é constituida por 60 músicos, sendo da sua composição alunos do Centro de Formação Artística, músicos amadores e profissionais.

Do currículo da Banda Filarmónica, constam os seguintes prémios :

  • 1936 – 1.ª classificada no concurso de Bandas do Distrito de Santarém
  • 1969 – 1.º prémio em bandas de 1.ª categoria na Feira Nacional da Agricultura
  • 1972 – 1.º prémio no Concurso Nacional de Aprendizes de Música
  • 1988 – 2.ª classificada no Concurso Internacional de Bandas da Amadora
  • 1995 – 1.º prémio no Concurso Nacional ” À Volta do Coreto” organizado pela RTP
  • 2008 – 2.º prémio no Concurso Internacional de Vila de La Sénia (Espanha)

Desde o inicio do novo milénio, a Banda Filamónica passou a centrar todo o seu trabalho artístico na realização de concertos e apresentações, no país e estrangeiro, entre estes de destacar :

  • 2013 – participação com a banda Quinta do Bill na Praça de Touros de Tomar
  • 2014 – participação com a banda We Trust no Festival Bons Sons
  • 2015 – participação na Festa dos Tabuleiros com a banda Quinta do Bill
  • 2018 – apresentação com o Simantra – Grupo de Percussão em estreia mundial, duas obras : “Coffee Break” de Jorge Salgueiro e “Concertina” de Nuno Leal
  • 2019 – espetáculo “Sucessos do Cinema” em conjunto com a Escola de Dança do CFA da instituição, integrado no 2.º Tomar.a.Dança – Festival de Dança de Tomar
  • 2022 – apresentação com Herman José na Praça de Touros de Tomar
  • 2022 – apresentação “Um Tordo na Filarmónica” com Fernando Tordo, no Cine-Teatro Paraíso em Tomar

Desde janeiro de 2020, o maestro e diretor artístico é Tiago Alves.

Quem é o maestro Tiago Alves?

 

Tiago João Gomes Alves, nasceu em Ourém a 5 de abril de 1988.

Iniciou os seus estudos musicais aos 8 anos na Academia de Música da Banda de Ourém. Em 2001 ingressa no Centro de Formação Artistica de Gualdim Pais, onde conclui o 7.º grau em clarinete na classe do professor Bruno Graça. Em 2010 finaliza a licenciatura em música, variante clarinete, no ramo de Interpretação da classe do professor Étienne Lamaison na Universidade de Évora. Colabora desde 2010 na Lisbon Film Orchestra .

A nível da direção já realizou masterclasses com Steven Davis, João Paulo Fernandes, Félix Hauswirth, Alberto Roque, Timothy Reynish, Reed Thomas, Craig Kirchhoff, Douglas Bostock e José Rafael Pascual Vilaplana.

Finalizou em 2015 a licenciatura em Direção de Orquestra de Sopros na Escola Superior de Música de Lisboa na classe do professor Jean-Marc Burfin. Em agosto de 2021, gravou com o grupo OpuSpiritum Ensemble o primeiro CD, intitulado “Le Vent Françai(x)s”.

Dirigiu a banda da Sociedade de Instrução Musical, Cultura e Recreio de A-dos-Francos de setembro de 2013 a janeiro de 2020.

Atualmente leciona clarinete e a disciplina de Orquestra na Ourearte, Orquestra de Cordas e Sopros do Conservatório Jaime Chavinha em Minde, é o diretor musical da Camerata de Sopros OpuSpiritum Ensemble, é docente no Instituto Politecnico de Leiria na pós-graduação em Direção de Orquestra de Sopros e Maestro da Banda da Sociedade Filarmonica Gualdim Pais, Tomar.